sexta-feira, 20 de maio de 2011

Esquecer



Hoje li um texto de uma pessoa a qual tenho muita consideração que falava sobre muitas coisas que são motivos para ficarmos horas com pensamentos tumultuados e muitas vezes acompanhados de lágrimas.
O que me chamou atenção foram alguns trechos e colocarei duas questões que achei pertinentes. A primeira diz respeito aos nossos amigos. Às vezes por um motivo bobo distanciamo-nos dos nossos melhores amigos. Às vezes considerados por nós como irmãos de sangue. No caso específico dela, distanciou de uma grande amiga e que tive a oportunidade de conhecê-la. Confesso que nunca consegui entender o porquê do distanciamento das duas. Li um amigo meu dizer uma frase que, mudando para o tema, traduzia bastante o que senti ao ouvir as duas falando uma da outra: Ela tinha sido sua melhor amiga e sentia falta e todo mundo sabia. Ela tinha sido sua melhor amiga e sentia falta e todo mundo sabia. As únicas que não sabiam eram elas duas.
Tentei lembrar para as duas de como era quando amigas uma da outra. Talvez esse tenha sido meu papel. Não sei se funcionou, mas posso dizer que vivi situação semelhante. Tive meu melhor amigo por muitos anos, Bernardo. Diria que ele não era amigo, sim IRMÃO. Como irmão teria prioridade em minha vida, mas decidi dar prioridade a outra pessoa que amava e acabei me distanciando a ponto de quando estávamos juntos novamente, não ser a mesma coisa.
Quantas vezes deixamos nossos melhores amigos de lado? Quantas vezes preterimos outra pessoa, que não deixa de ser importante, aos nossos amigos? E disso me arrependo fortemente. Bernardo, você ainda é meu irmão de sangue, saiba disso.
A outra questão levantada é sobre aquela pessoa que aparece em sua vida, de mansinho, e que mostra a você o seu real valor. Valor que muitas vezes você sabia, mas que por algum motivo pode ter ficado oculto. Ou mesmo devido a tantas surras da vida, você acabou esquecendo.
Conheci há algum tempo uma pessoa muito especial e que lhe dei tanto valor e mostrei-lhe várias qualidades que até ela mesma não sabia que tinha. Essas pessoas que aparecem em nossas vidas são para realçar o nosso brilho. São para nos dar força. Verdadeiros anjos.
Disse em alguns textos em especial o texto “Quando me chamou de anjo” como isso me fortaleceu, como acreditei ser uma pessoa que podia fazer a diferença.
Por fim gostaria de dizer o quanto sinto falta dessa pessoa. Eu estou sempre acompanhando seus textos, para que ver se está tudo bem com ela, se está feliz. Às vezes pego escutando alguma música que fala de anjo e vejo que o verdadeiro anjo apareceu em minha vida e simplesmente não está mais. Tento não lembrar, mas é difícil esquecer alguém que tanto gostou. Não digo gostar no sentido de amar, fato que ocorreu, mas no sentido de amizade. Às vezes pego meu celular e quero ligar para você para saber se está bem, mas perco a coragem. Choro ao lembrar de tudo que aconteceu. Mas sei que a vida nos tira algo bom para propiciar algo melhor. E assim vou vivendo.



3 comentários:

  1. Ai Rafael seu texto foi muito emocionante... confesso que já tive muitas amizades que considerei extremamente e hoje estão bem afastadas de mim, mesmo morando bem pertinho, bem como tenho amizades que fisicamente estão longes e eu sinto como se estivessem bem próxima...

    De fato, amigos verdadeiros são anjos!
    Os que tenho o são... mesmo aqueles que estão distantes....


    Um beijo, bom fds.

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante o blog !
    Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir...;

    www.bolgdoano.blogspot.com

    Muito Obrigada, desde já !

    ResponderExcluir
  3. Devo confessar que chorei ao ler o final... Sinto muita falta do meu anjo. :/

    ResponderExcluir