quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Este sofrimento


Hoje eu confesso: Estou sofrendo a sua ausência. Tento esquecer-te ou pensar em outras coisas que não seja nos momentos felizes que estivemos juntos.
E eu achei que essa dor iria passar, mas hoje já são 1 ano e ainda tenho você em meu pensamento como se fosse ontem que tudo acabou. Não tenho vergonha de dizer que estou sofrendo sim. Menos que imaginei, claro. Mas dói.
Dói saber que tudo o que planejamos um dia hoje já não pode acontecer. Dói saber que tudo não passou de um momento ou um desejo. E eu posso ter várias mulheres comigo e só sentir a sua ausência.
Meu maior erro foi ver só hoje que eu tinha que ter mudado. Não tenho vergonha de dizer que você faz falta. Queria casar com você. Quero você de volta. Ouvir você quando estava com medo a noite e ficar no viva voz para mostrar que você ficaria bem.
Você pode achar que não foi importante, como me disse. Mas todos os nossos momentos foram intensos, eternos. Talvez fale isso nesse momento porque não estou no meu melhor. Mas são nesses momentos que dizemos a verdade.
Hoje sei: “o que vai ficar na fotografia, são os laços invisíveis que havia”.

5 comentários:

  1. O tempo é implacável, não só porque nos faz envelhecer, mas nos faz esquecer, ou melhor, torna grandes coisas que aconteceram em pequenas. O tempo passa, o tempo sempre vai mostrar uma nova forma de ver e ser... diferente daquela que um dia chegamos a imaginar ou mesmo desejar.

    ResponderExcluir
  2. As vezes, nem o tempo,

    Sempre vai doer, latejar,


    Bjkas

    ResponderExcluir
  3. Passando para desejar um lindo final de semana!! De muita paz, amor e harmonia. Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Oi, Rafael... Aceitei seu convite. Estou te seguindo tb, passarei para ver as novidades. Postagens carregadas de sentimentos, hein? Vamos nos falando. Abraços...

    ResponderExcluir
  5. Quando o sentimento é verdadeiro um ano é como segundo, tudo fica do mesmo jeito e a dor ainda é inevitável. Como o amor não mata ninguém, vivemos na espera, quem sabe um telefone numa noite vazia, quem sabe nos encontramos em uma fila de banco, ou quem sabe nossa mente aprenda a apagar essas lembranças da mesma forma que nos faz esquecer onde colocamos a chave, a carteira ou que dia da semana é hoje.
    Ótima semana!
    Abraço

    ResponderExcluir